quinta-feira, 20 de outubro de 2016

COMO CUIDAR DE ORQUIDEAS

COMO CUIDAR DE ORQUÍDEAS

Minhas orquídeas esquerda para direita - 4 dendrobium e 1 phalaenopsis)

minha orquídea paphiopedilum (sapatinho)  planta-se na terra

SUBSTRATO

O mais indicado é uma mistura de 20% de caquinhos de telhas de barro (sempre novas) de vasos de barro, 20% de caquinhos de pinus e 60% de fibra de coco fina ou em cubinhos já que não podemos mais usar fibra de xaxim.Não tem terra nesses substratos.
Como esses substratos não tem muita firmeza, use varetas de sustentação para espécies com hastes mais longas como Dendrobium, Cymbidium e Phalaenopsis.

VASO

Muitas compradas vem em vasos plásticos e os orquidófilos recomendam transferir para vasos de barro.Os melhores são com furos na parte inferior e nas laterais para facilitar a drenagem fazendo com que o substrato seque mais rápido porque a maioria das orquideas não são adeptas de muita água.Os de fibra de coco são ótimos pois retem pouca umidade e são mais leves e fáceis de serem presos a troncos e galhos de árvores dependendo da espécie de orquídea.Não são todas que podem ser fixadas em troncos de árvores.

ADUBAÇÃO

Como não se utiliza terra nos substratos, todos os nutrientes vem por meio de adubação porque senão a planta pode morrer.
O tipo de fertilizante pode variar conforme a espécie da planta, assim como a frequencia e a dosagem do adubo.
No caso das orquídeas, indica-se adubos químicos pois sua dosagem é precisa.Os orgânicos são bons mas nem sempre são fáceis de serem diluídos na água e corremos o risco de não proporcionar a correta dosagem que a planta necessita e ela  pode até não florescer.

REGAS

Apesar de algumas espécies não suportarem muita água,não devemos deixá-las desidratadas.
Algumas espécies até devem ficar sem água em determinadas épocas.Em cada espécie que vou postar colocarei cada necessidade de água.

MUDANÇA DE VASO E TROCA DE SUBSTRATO

A troca deve ocorrer no máximo a cada 2 anos pois há acúmulo de minerais assim como a deterioração de seus componentes o que não é bom para elas.
O replantio é necessário para a limpeza de raizes mortas e a retirada das novas..Deve-se remover do vaso e lavar as raizes tirando restos do substrato.Se houver mudas, separá-las com cuidado. Com uma tesoura esterilizada (passe as lâminas pelo fogo e espere esfriar) e corte as raizes mortas. Lave o vaso antigo por dentro e por fora utilizando esponja áspera e água corrente.Não use detergente nem água sanitária.
Coloque uma camada de argila expandida (compre em lojas de jardinagem) no fundo do vaso.Dois a três dedos são suficientes para drenagem da água.Substrato novo no fundo não deixando as folhas da orquídea enterradas.Complete as laterais com mais substrato para a planta ficar bem firme.Regue para o substrato ficar umedecido e faça a adubação pulverizando.
As mudinhas novas plante em novos vasos procedendo igual.A época mais indicada para fazer isso é após a florada.

ORQUIDEAS EM TRONCOS E GALHOS DE ÁRVORES

Orquídeas que se adaptam em galhos e troncos são as epifitas.As rasteiras conhecidas como (sapatinhos - Paphiopedilum) não se adaptam nas árvores.
Para prende-las nas árvores devemos colocá-las em uma placa de fibra de coco ou vaso de fibra de coco e amarrá-las com barbante.Nunca use arame pois machuca a árvore e também não deixa a orquídea se expandir.Pode-se usar aquele barbante que os feirantes usam para amarrar as caixas de ovos que compramos.
Outro método é envolver as raízes com um chumaço de fibra de coco e enrolá-las em um pedaço de saco de estopa e fixá-las na árvore.
Pode-se cultivar dezenas de orquideas em uma árvore, mas pulverizando periodicamente com adubo e molhando-as em épocas secas quando ficar sem chuva.